• Ana Princival

A internet das coisas

Atualizado: Abr 5

Também chamada de IoT (do inglês Internet of Things), o termo representa uma nova era tecnológica, na qual as pessoas buscam conectar grande parte dos utensílios do cotidiano à internet, intercomunicando celulares e computares com as mais variadas coisas - desde peças de roupas até eletrodomésticos. A ideia surgiu em 1991 e desde então é cada vez mais popular, trazendo o propósito de conectar o mundo físico ao digital. O termo “internet das coisas” foi proposto pela primeira vez em 1999 por Kevin Ashton, pesquisador do MIT. Dez anos depois ele escreveu um artigo para o RFID Journal, em que discorre sobre como a urgência do cotidiano nos fará conectar às redes, de forma a coletar dados sobre nosso organismo e hábitos, e que tal feito será ainda mais importante que as revoluções passadas.

Computadores e televisões são aparelhos mais comuns de se imaginar conectados à web. No entanto, a IoT pretende ir além, incluindo fogão, geladeira, lâmpadas, fechaduras, carros e até nosso próprio corpo. Os chamados dispositivos vestíveis (ou wearables) são parte da primeira geração, projetados pensando diretamente no consumidor final. Foram concebidos na forma de pulseiras inteligentes e smartwatches, acessíveis às redes e oferecendo dezenas de recursos extras.

Outro exemplo de máquina inteligente é o carro Mobii, desenvolvido pela Ford e pela Intel, que conta com um sistema de reconhecimento facial do motorista a fim de personalizar sua experiência com o veículo, oferecendo-lhe músicas, rotas de GPS e informações gerais. Caso o sistema não identifique o rosto do indivíduo, envia fotos ao proprietário como sinal de alerta. Já a fabricante de elevadores alemã Thyssenkrupp, em parceria com a Microsoft, criou um sistema eficiente de manutenção preventiva de seus produtos. Através de monitoramento por meio dos computadores, pode-se acompanhar em tempo real os elevadores, diminuindo a chance de acidentes e falhas técnicas.

Assim como essas, são várias as utilidades do dia a dia que estão sendo computadorizadas. Com o grande avanço, grandes companhias buscam aprimorar-se para tomar a frente no mercado e produzir dispositivos de ponta. O grupo Open Interconnect Consortium (OIC) - integrado pela Intel, Dell, Samsung, outras empresas de microcontroladores e de tecnologia sem fio – redigiram um protocolo que assegura o bom funcionamento de conexões, como Wi-Fi e Bluetooth, que serão utilizadas pela organização. Há ainda a Allseen Alliance, composta por mais de 50 empresas, dentre elas a Panasonic e a Microsoft. No Brasil, a associação responsável pela divulgação da internet das coisas é a W3C, escritório que cria a navegação padronizada por browsers. Em suma, a robotização dos equipamentos se fará cada vez mais presente na vida das pessoas, abrangendo desde o ambiente doméstico – com as TVs, computadores, babás eletrônicas – até a paisagem urbana. O conceito de Cidades Inteligentes é corroborado pela IoT, que irá possibilitar projetos avançados de tráfego, saneamento e abastecimento, trazendo eficiência e qualidade de vida.

No entanto, para que tudo isso seja realizado, faz-se necessária uma potente rede de dados. O 5G será o próximo passo na telecomunicação, que trará benefícios tanto para usuários de ferramentas comuns quanto para o suporte de milhares de mecanismos inteligentes, produzidos anualmente. Com a perspectiva de um mundo completamente conectado, os estudos avançam em busca de redes capazes de assistir à demanda prevista. Além disso, a segurança é um fator indispensável em meio à tecnologia. Uma vez que as pessoas costumam cadastrar as mesmas senhas para todos os seus sistemas, fica fácil para hackers invadirem aparelhos e usufruírem de dados pessoais. Não somente o âmbito familiar fica vulnerável, como também grandes empresas e corporações. A IoT é um símbolo da revolução tecnológica e pode-se afirmar que nela está o futuro da internet. A infinidade de campos que pode abranger nos indica que será implacável a sua presença na rotina, trazendo inúmeras facilidades em nossos processos.

Fontes: Tecnoblog https://tecnoblog.net/263907/o-que-e-internet-das-coisas/

https://tecnoblog.net/263907/o-que-e-internet-das-coisas/> Wareable https://www.wareable.com/running/your-running-watch-explained-whatdoes-cadence-vertical-oscillation-and-hr-max-mean> Vida Moderna https://www.vidamoderna.com.br/cidades-inteligentes-conhecaquatro-projetos-incriveis-pelo-mundo/>




10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Desde 1993, a EMJEL está transformando realidades com os mais variados projetos de engenharia elétrica. Trabalhando junto com o cliente de forma personalizada e com preços até 40% abaixo do mercado.

Siga-nos nas redes sociais:

  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

Contatos


EMJEL - Assessoria em Eletroeletrônica

contato@emjel.com.br

(41) 98412 - 0720

Rua Coronel Francisco Heráclito dos Santos, 210, Jardim das Américas - Curitiba - PR
Centro Politécnico - UFPR - Departamento de Engenharia Elétrica - Piso inferior

Termos de uso | Politica de privacidade                                                                                                                                                                          Copyright © 2021 - EMJEL