• Amanda Morente

Horta automatizada

O cultivo em hortas residenciais nos dias de hoje continua trazendo inúmeros benefícios e uma melhora na qualidade de vida das pessoas. Dentre tais benefícios destacam-se a manutenção da saúde, visto a possibilidade de acesso a uma diversidade de alimentos frescos, a promoção do bem estar mental, já que a prática do cultivo é terapêutica, e a economia com compras.

Com a falta de tempo trazida pela vida moderna, a horta automatizada veio como uma forma de facilitar o cultivo dos alimentos. Por meio da utilização de microcontroladores, sensores e atuadores se faz possível então a automação de vários processos, a fim de poupar esforço humano. Conheça alguns deles:


Controle de Temperatura


Sabendo que a temperatura influencia diretamente no crescimento e desenvolvimento das plantas, através do uso de sensores de temperatura é possível gerenciar e controlar o microclima da área de cultivo, garantindo que a temperatura permaneça na faixa adequada para as plantas em cultivo.


Controle de umidade


De acordo com o tipo de planta que se é plantada, o tipo de solo e suas condições de umidade, a umidade ideal para irrigação sofre uma variação. Além disso, muitas plantas também possuem uma necessidade maior de água do que as outras em determinadas épocas do ano.

Por meio da utilização de sensores de umidade é possível gerenciar essa as variações de umidade do solo, de forma não só a ajudar no desenvolvimento de um plantio de melhor qualidade, mas também evitar o desperdício de água.


Controle de irrigação


Durante o processo de fotossíntese, a rega da quantidade correta de água age como um combustível a mais no desenvolvimento da planta. Assim, faz-se necessário que a irrigação ocorra na quantidade e frequência necessária para cada planta.

Através do microcontrolador e da aplicação de sensores de umidade, pressurizadores, válvulas solenóides, rotores e mangueira de gotejamento a irrigação é feita da forma correta, no período e volume ideais , e sem operação humana.


Controle de pH


A acidez do solo, de tal forma que as plantas preferem um pH neutro, no qual se é encontrado um valor, que varia para cada planta, denominado ponto de equilíbrio, no qual a maioria dos nutrientes se tornam disponíveis às raízes. A utilização de sensores de pH possibilita que a acidez na qual se encontra o plantio seja monitorada, a fim de garantir o acesso aos nutrientes necessários para um desenvolvimento saudável.


Controle de luminosidade


As plantas utilizam a luz do sol para a realização do fenômeno da fotossíntese, pelo qual a energia luminosa é utilizada para a produção de energia química para o crescimento. Nesse processo as plantas necessitam de uma quantidade de luz diferenciada e a utilização de sensores pode ser uma grande aliada, sendo capacitando a compreensão de diferentes condições luminosas, a fim de otimizar o crescimento vegetal.




Ainda, através da automação e eletrônica é possível acrescentar outros sistemas de monitoramento para hortas e plantações de pequeno, médio e grande porte, se adequando às suas necessidades. Para realizar um orçamento para automatizar o seu cultivo acesse:



Fontes de pesquisa:


Eventos.unipampa.edu.br

Sistemaolimpo.org


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo