NOS ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon
  • White Twitter Icon
NOSSOS SERVIÇOS

- Eficiência Energética

- Desenvolvimento de Tecnologia

- Projetos de Eletrônica

- Luminotécnica

- Instalações Elétricas 

ENCONTRE-NOS

Estamos localizados na

Rua Coronel Francisco Heráclito dos Santos, 210, Jardim das Américas - Curitiba - PR
Centro Politécnico - UFPR - Departamento de Engenharia Elétrica - Piso inferior

 

© 2019 EMJEL - Empresa Júnior de Assessoria em Eletroeletrônica

Será que é viável a mudança para a tarifa branca?


Tarifa branca é uma modalidade nova de tarifa de energia elétrica, aplicada pelas distribuidoras a partir desse ano.

Tarifa branca consiste na cobrança diferenciada de acordo com o horário de consumo da energia, ou seja, esse é o diferencial comparando com a tarifa convencional que cobra o mesmo valor do kWh utilizado ao longo do dia, já na tarifa branca o valor da unidade consumida varia de acordo com o horário que foi consumido.

Como dito, a tarifa branca varia o valor cobrado da energia elétrica de acordo com o horário e o dia consumido, assim, a distribuidora utiliza o seguinte critério:

Horário Fora de Ponta. Compreende os períodos do dia em que a tarifa cobrada pelo consumo é menor.

Horário Intermediário. Engloba dois períodos do dia, totalizando duas horas (uma hora antes do horário de ponta e uma depois) em que a tarifa é maior do que no horário de ponta, quando ocorre uma média utilização do sistema.

Horário de Ponta. Consiste no período de 3 horas em que há maior demanda, sendo o valor cobrado pelo kWh superior ao dos outros dois horários.

Esses horário são válidos somente de segunda a sexta, nos finais de semana e feriados nacionais, todos os horário são fechados como fora de ponta. Fica a critério de cada distribuidora estabelecer esses horários, sendo necessário sua homologação pela ANEEL nas revisões tarifárias periódicas.

Para se aderir à tarifa branca, o consumidor deve ser de baixa tensão. A concessionária, no caso a COPEL, tem exigências que estão detalhadas na NTC902204. Caso necessite de alguma alteração na entrada de serviço, o próprio consumidor deve providenciar as alterações. Já o medidor de tarifa branca, a concessionária instala o novo equipamento sem custos adicionais.

Toda essa adesão deve ser formalizada a partir de um documento denominado Termo de opção, existindo três opções: para irrigantes e aquicultores, optantes e para os demais que não se enquadram dos dois anteriores

A criação da tarifa instiga a mudança de hábito no consumidor, para que valha a pena a opção pela tarifa branca.

Para verificação se é viável a troca pela tarifa branca, existem simuladores de graça para tal verificação: https://www.copel.com/scnweb/simulador/inicio.jsf e https://www.energisa.com.br/Paginas/simulador-tarifa-branca.aspx .

Para saber mais detalhes sobre as exigências da copel, basta entrar no link: http://www.copel.com/hpcopel/root/nivel2.jsp?endereco=%2Fhpcopel%2Frural%2Fpagcopel2.nsf%2Fdocs%2FB0CA4C8DF4B62F98832581F00058CCF9